sexta-feira, 22 de abril de 2011

'Semana Santa é mais violenta que carnaval', diz delegado de homicídios

O feriado da Semana Santa começou violento na Grande João Pessoa. Dez homicídios foram registrados nas últimas 17 horas na Grande João Pessoa.
O primeiro caso aconteceu na comunidade Nova República, no bairro do Ernesto Geisel, em João Pessoa. Uma adolescente de apenas 13 anos de idade foi assassinada com vários tiros na cabeça. O crime aconteceu por volta das 22h desta quinta-feira (21). Andrezza Batista da Silva, 13 anos, foi executada no meio da rua quando passava pela comunidade. A polícia não soube informar a autoria do crime.
Cerca de duas horas depois, o servente de pedreiro Paulo Victor Vieira do Nascimento, de 23 anos, conhecido como ‘Paulo Barata’, foi assassinado na rua Maria de Nazaré, no bairro do São Bento, em Bayeux. De acordo com a polícia, o corpo foi encontrado com várias perfurações de tiros. Os acusados foram quatro homens que teriam abordado a vítima no momento em que ela passava por um beco escuro. A polícia foi acionada e, em pouco tempo, conseguiu prender um dos suspeitos de ter praticado do crime. O acusado, identificado apenas como cabeludo, foi encaminhado para 5° delegacia distrital, em Bayeux,
Cerca de uma hora depois, outra mulher foi executada com sinais de crueldade. Segundo a polícia, quatro bandidos fortemente armados invadiram a casa onde a vítima morava com o companheiro e quatro filhos menores e a assassinaram com pelo menos 11 tiros de pistola. Ana Marluce do Nascimento, de 26 anos, morava na rua Estudante Josemar de Almeida Silva, na comunidade Paratibe, no Valentina de Figueiredo, em João Pessoa. Segundo o companheiro da vitima, um dos bandidos rendeu o mesmo na entrada de casa, e os outros três invadiram o quarto onde Ana dormia. Ela Não teve tempo de reagir e morreu em cima da cama. Depois de praticar o crime, os bandidos fugiram sem deixar pistas para a policia.
Ainda na noite de ontem, Alex Domingos de Almeida foi baleado no bairro de Mandacaru e socorrido para o Hospital de Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa. Ele não suportou os ferimentos e morreu no hospital.
Na manhã desta sexta-feira (22), no bairro Mangabeira I, um comerciante foi assassinado por volta das 06h30, dentro de um posto de combustível. Ele foi identificado apenas como Wendell e morava no mesmo bairro. De acordo com a polícia, ele passou a noite toda bebendo em um bar e voltava para casa, quando parou no posto para beber mais. Neste momento, três homens passaram em duas motos e efetuaram os disparos contra a vítima, que morreu no local.
Já em Mangabeira IV, o crime foi praticado contra um ex-presidiário, que cumpria pena por assalto ao mesmo posto de combustível que Wendell foi morto na manhã de hoje. A vítima não foi identificada e a polícia investiga as causas da morte.
Por volta do meio dia, um homem foi executado também a tiros na cada onde morava, na rua Cuiabá, no bairro do Grotão, em João Pessoa. Mário Suzano Mendes, de 47 anos, estava sozinho em casa quando escutou um homem pulando o muro de sua casa. Ele correu da sala até o banheiro e fechou a porta. Mas não teve tempo nem para correr. O bandido arrombou a porta do banheiro e o matou a sangue frio. A polícia informou que se trata de uma vingança, já que há alguns anos atrás, a vítima teria esfaqueado um homem, que estava preso e saiu da penitenciária na semana passada. A companheira dele, Severina Paulo da Silva informou que havia perdido um filho há menos de dois anos atrás, também assassinado a tiros na comunidade 1º de abril, no mesmo bairro.
Por volta das 13h, um adolescente de 16 anos foi assassinado no meio da rua na comunidade do Riachinho, no bairro Treze de Maio, também na capital. Thiago Augusto Pereira estava indo a casa de um amigo, por trás do colégio Maria Quitéria, quando foi alvejado com seis tiros na cabeça. O SAMU ainda foi acionado, mas quando chegou lá, a vítima já estava em óbito.
No mesmo horário, só que no bairro do Cristo Redentor, Waldir Santos da Silva, de 26 anos, conhecido como 'Neguinho', foi assassinado com um tiro na nuca. O crime aconteceu no cruzamento das Avenidas Dom Bosco com a Major Brito, ao lado da escola estadual Liliosa de Paulo Leite. A polícia não soube informar as possíveis motivações do assassinato.
Já por volta das 15h00, a polícia registrou o 10º homicídio na grande João Pessoa. A vítima foi Cassiano Junior de Oliveira Bezerra, de 27 anos. Segundo a família, ele era casado, tinha dois filhos e trabalhava em uma madereira, no bairro da Torre, na capital. De acordo com a polícia, ele estava bebendo com amigos quando foi alvejado com 14 disparos de arma de fogo. Os criminosos acharam pouco e ainda cravejaram uma faca peixeira na barriga dele. O crime aconteceu na Rua da Alegria, no bairro dos Novais. A polícia acredita que a morte tenha sido causada por vingança.
Os números chocam até quem já está acostumado com a violência. Segundo o Sargento S. Silva, do 5º Batalhão, "Os bandidos não respeitam nem mais a semana santa, antes considerada sagrada."
Para o delegado de homícídios, Isaías Gualberto, a Semana Santa é sempre violenta porque as pessoas exageram na bebida. "Aqui em João Pessoa, a semana santa é mais violenta que o carnaval, inclusive." Ele não informou quantos homicídios foram registrados na festa de momo, mas disse que, como a capital não tem festas durante o período carnavalesco e as pessoas constumam viajar, a cidade fica bem mais tranquila.
Todos os casos estão sendo investigados pela Delegacia de Homicídios, localizada na Central de Polícia, em João Pessoa.

Portalcorreio - Felipe Silveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário